MENU

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Salário Mínimo vs. Salário de Parlamentares

Salário de parlamentares e do executivo deve sofrer aumento por decisão política dos próprios. O trabalhador brasileiro pode decidir sobre o aumento de seu próprio salário? O que está acontecendo nesse país?

Qual o percentual máximo de aumento salarial dos parlamentares para que a população continua calada e sem agir? Esse deve ter sido o pensamento dos próprios ao estipular o valor de mais um aumento salarial. Certamente eles erraram na conta, pois muitos estão se manifestando ( cristãos, ongs, a população por meio de abaixo-assinado eletrônico, o Projeto 6 de Março através desse texto, etc). O que nos falta para impedir de vez atitudes imorais como estas e até mesmo a menos imorais? Não seria hora de tentarmos aprovar uma redução salarial dos parlamentares para UM SALÁRIO MÍNIMO? Você acha isso absurdo?

A população certamente também acharia um absurdo e consequentemente impossível o salário mínimo ser de dois mil reais. O que faz esta pensar assim? Absurdo maior não seria a elevação salarial de um parlamentar que já ganha mais de 30 salários mínimos?

Vamos agir, nos organizar, nos manifestar, vamos buscar uma transformação social de fato. Lutemos por paz para todos, por justiça, por igualdade, por democracia real!

terça-feira, 30 de novembro de 2010

O Crime Organizado e as Práticas Sociais Corruptas

O pensamento crítico e o senso comum nunca estiveram tão distantes. A enxurrada de informações que estamos recebendo do Rio de Janeiro estão sendo transmitidas com o mesmo sensacionalismo dos programas policiais, porém com uma melhor qualidade técnica, quase cinematográfica. A verdade é que não é só o Rio que sofre com o tráfico, é todo o Brasil, mas nós só debatemos o crime nas favelas do Rio de Janeiro que, pelo senso comum, precisam ser combatidas. Somente neste ponto é que vejo uma intersecção entre o pensamento crítico sobre o problema e o senso comum, constantemente legitimado pela cobertura cinematográfica da imprensa brasileira.

A forma que devemos combater o crime no Brasil é um debate fora de pauta. Discute-se sim as estratégias de subir o morro, "espantar", prender e matar os traficantes. É impressionante ouvir em cada esquina brasileiros apoiando a varredura e a caça aos marginais. E não é pra caçá-los, se eles estão altamente armados? Eles não aterrorizam inocentes? Eles não matam, não saqueiam, não roubam? Eles morrendo não fazem falta e é um bem pra sociedade! Estas são perguntas e afirmações que a sociedade faz, apagando qualquer tentativa de se fazer uma análise crítica, sistêmica da situação brasileira.

Quero, portanto, tentar neste blog desconstruir as diversas ideias que norteiam o senso comum, com fortes reflexões e críticas aos métodos legitimados pela maioria da população, utilizadas no combate ao crime organizado no Rio de Janeiro. Pra começar minha primeira critica é que o crime organizado não existe somente nas favelas do Rio, mas sim nas demais favelas brasileiras e também em bairros nobres de todo o Brasil. A segunda crítica é que o crime organizado não é composto por favelados e/ou traficantes que residem em favelas, mas que constitui de indivíduos marginalizados, comerciantes, jornalistas, educadores de centros educacionais, agentes penitenciários, policiais militares, políticos, advogados, juízes, funcionários públicos, e indivíduos das classes mais favorecidas. Portanto, o crime organizado no Brasil tem cara de máfia e para combatê-lo as estratégias devem ser sistematicamente planejadas e articuladas por pessoas íntegras. Quem são estas pessoas? Eu não sei.

Para encontrarmos uma solução para o problema, acredito que devemos fazer alguns questionamentos. Quero começar pelo problema no Rio, já que é a pauta vigente. Especula-se na televisão constantemente que as ordens para os ataques aos veículos no Rio de Janeiro vem dos presídios, uma forte evidência de que temos agentes penitenciários, parte da organização criminosa, que também precisam ser combatidos. Sobre a existência de agentes corruptos nos presídios brasileiros isso ninguém tem dúvida. Celulares e alguns armamentos em presídios são comuns nos noticiários. Mas crime por partes dos agentes não é somente compactuar de maneira ilícita com traficantes já detidos, a violência contra indivíduos privados de liberdade também é crime e ainda mais, tem um grande impacto social. Violência só gera violência. Os presídios brasileiros só formam criminosos, quando estes eram para educar e profissionalizar o infrator. É de se esperar portanto, que infratores com ficha criminal e passagem por presídios sejam extremamente violentos, pois estes perderam os valores da vida devido a violência e as péssimas condições de vida dentro dos presídios superlotados e sem estrutura física suficiente para se viver. Acabando, portanto, com a corrupção e violência e investindo forte em estrutura física dos presídios vai resolver o problema das facções criminosas? A resposta é não! Mais presídios implica em mais presos, mais gente para ser julgado, mais investimento, e depois o mesmo problema volta e teremos que ter mais presídios, e teremos mais presos, mais juízes para julgar, mais investimento, etc, etc. Resolver este problema sem resolver a corrupção e a violência policial nas ruas nada vai mudar. O despreparo dos policiais unido ao medo, às péssimas condições de trabalho e de salários condicionam o policial a tomar atitudes ilegais, com impactos sociais devastadores. Policiais violentam e causam medo à população, policiais matam inocentes e continuam soltos, policiais militares são envolvidos com o crime organizado, eles criam grupos de extermínio e matam quem eles acham que devem morrer, há suspeitas de alianças com redes de segurança privada e com grupos de extermínio, e veja bem, são muitas as suspeitas e muitas as comprovações de corrupção das autoridades que supostamente deveriam fazer a segurança pública. A imprensa, por outro lado, apresenta somente o que legitima a ação policial e a criminalização de favelados e jovens infratores. É também um ato corrupto omitir informações necessárias para uma verdadeira análise da situação. A verdade é que falta uma concepção mais crítica e menos sensacionalista por parte dos jornalistas, que não compreendem a conjuntura social e política, compactuando com uma concepção voltada para a criminalização da juventude pobre e a omissão de fatos determinantes para crimes cometidos por juízes, promotores, advogados, e indivíduos com poder aquisitivo para contratar juízes e advogados. Como um suspeito pobre e sem instruções pode processar a imprensa? Então ele não é suspeito é culpado! Se um crime é cometido por autoridades ou por indivíduos com poder aquisitivo é racional, por parte da imprensa, ter cautela nas reportagens que podem ser alvos de processos legais. Isso tudo pra mim é corrupção, ao passo que acusa sem ter provas o pobre, e omite em nome de interesses financeiros ou de poder. Tráfico de influências também é crime. É preciso combater o crime organizado, ou seja, toda a estrutura criminal enraizada, impune, comum nas práticas da maioria dos brasileiros.

Já falei da corrupção e violência policial, de agentes penitenciários, e da omissão irresponsável e criminalização da juventude pobre pela imprensa brasileira que também constitui, do meu ponto de vista, o crime organizado no Brasil. Ainda tem coisa a se falar. O alvo agora é a política. Antes de falar do político vamos falar da política exercida por funcionários públicos irresponsáveis e um tanto quanto corrupta. Não tenho provas aqui, mas tenho minha vivência que aposto está coerente coma vivência de muitos brasileiros. Quantos brasileiros corruptos pagaram para furar fila da vistoria de veículos no Detran? Eu deixei de pagar e quis pegar a fila, e o resultado é que fui o último a ser atendido. A vistoria era de um gol recém comprado e que havia passado pela vistoria uma semana antes. O vendedor do gol (vendedor de muitos outros carros), dono do JJ Veículos conseguiu fazer esta vistoria sem nenhum problema e nem pegou fila. Mas quando chegou minha vez descobri que a fila era grande, mesmo sem ter tantos carros na fila, e que o carro tinha o chassi alterado. Suspeitei de carro roubado tive que resolver este problema. Não quero aprofundar aqui o estresse pelo qual passei com este carro, só quero mostrar que as práticas no interior de um órgão público como o Detran - Ce são corruptas. Carros roubados podem ser facilmente legalizados, basta pagar propina e o preço que o cidadão paga por não aceitar isso é o estresse de uma fila enorme e ainda o procedimento justo que é aplicado para os honestos. Nem a delegacia de roubos e furtos resolveu meu problema. Isso se configura ou não um crime organizado? No contexto da corrupção de funcionários públicos, como andam as práticas pedagógicas nas escolas públicas de ensino básico? Fui professor pelo Instituto Dom José de Educação e Cultura na Universidade Estadual Vale do Acaraú em Fortaleza por três dias, pois os meus alunos, que são professores do ensino básico criticaram a minha didática. Até ai tudo bem, vou rever minha didática, mas a verdade é que eu tinha uma ementa a cumprir de Cálculo Diferencial Integral II em apenas um mês e uma turma que não sabia nem Cálculo I, e o menor interesse em aprender coisas novas. Alunos (professores de ensino básico) desrespeitadores, que atendem celulares dentro de sala de aula, e que se unem para tirar o professor que estava disposto à cumprir com a ementa, e que obviamente alguns reprovaria alguns que não conseguissem aprender o mínimo que estava a ser ensinado. Sei que sou suspeito pra falar, mas muitos hão de concordar que a equipe docente de ensino básico estagnou, se acomodou e não os interessa aprender mais. Estão de saco cheio com a estrutura da sua escola e nada fazem para melhorar, a não ser greves por aumento salarial, uma bandeira bem individualista. Defendo sim o aumento salarial, mas falta também um comprometimento com a educação, falta preparo para lhe dar com os estudantes de baixa renda, sem perspectiva de vida e com um potencial enorme para entrar no tráfico. Falta no professor força para despertar no estudante uma esperança de mudança de vida, de garantia de sucesso. Falta criatividade e também falta condições de trabalho e de salário. É realmente um problema sério! É um desabafo meu, mas posso escrever aqui centenas de desabafos de alunos, professores e gestores da educação básica, que não tem formação continuada e são extremamente despreparados para realizar uma transformação social em tempos de guerra entre policiais e traficantes (segundo mostra nossa imprensa). Mas pra mim esta guerra que está sendo apresentada é entre criminosos da polícia e criminosos da favela, onde sofre os policiais inocentes e muitos inocentes da favela. A guerra civil brasileira que existe é generalizada, uma guerra por benefícios e regalias, por poder e por dinheiro. Não que o dinheiro em sim seja ruim, mas que a forma de se ganhar dinheiro deve ser questionada, formas corruptas, formas que trazem prejuízos a trabalhadores, ou dinheiro a todo custo. Ah, os políticos! Eu disse que iria falar deles. Eles são frutos de toda essa cultura brasileira individualista, corporativista, aproveitadora, marcada pela corrupção. E é no Congresso Nacional e nas Câmaras que estão as maiores possibilidades de práticas corruptas que trazem os maiores malefícios à sociedade. Além das práticas ilícitas os três poderes, o Executivo, Legislativo e o Judiciário, assumem uma prática imoral elevando seus próprios salários e benefícios a valores exorbitantes, praticando nepotismo ilegal e/ou imoral, defendendo interesses individuais que não são caracterizados como crime, mas são práticas imorais que só agravam os problemas sociais.

O que é público é tratado com descaso e irresponsabilidade desde os cargos públicos ocupados pela sociedade até os patrimônios público considerados menos importantes. Esta cultura está intimamente ligada à todos os problemas sociais que vivemos, uma conjuntura que pode ser descrita apenas pela irresponsabilidade dos gestores e funcionários públicos que acabam por não garantir os direitos mais fundamentais o que levam nossas crianças e adolescentes à se marginalizarem e procurarem defesas utilizando meios ilegais, nada mais natural. obrevivência meu velho, sobrevivência. Por que o Estado cobra conduta se ele mesmo não tem? A polícia militar tem boa conduta? Por que são eles que estão no projeto de ocupação das favelas através das UPPs no Rio de Janeiro? Um projeto de repercussão nacional que deu a reeleição de Sérgio Cabral. O Rio vive tempos de guerra. Mentira! As favelas sempre viveram estes tempos de guerra e agora está agravado pelo projeto um tanto quanto irresponsável, eleitoreiro e, infelizmente, que a sociedade está pedindo, de forma completamente burra irresponsável e sem uma análise sistêmica do problema que não vai acabar com os métodos utilizados. Todos os dias prendem criminosos e suspeitos, para colocar onde? Todos os dias encontram drogas e armas, mas dinheiro eles não encontram, Porque? As armas tem um poder de fogo terrível nas mãos de traficantes extremamente perigosos. Como estas armas chegam até eles? E a conjuntura social e política que a cada minuto coloca crianças e adolescentes à margem da sociedade, e consequentemente entram para o mundo do crime? A polícia despreparada e violenta não acabará com o tráfico, eles só podem afastar e prender alguns traficantes da favela, pois o tráfico é constituido também de policiais, políticos com a cumplicidade e cooperação de alguns funcionários públicos. Não duvido também que empresas particulares lucrem com o tráfico. Uma verdadeira máfia nacional. Não olhemos somente para o Rio, em todo o Brasil há corruptos e criminosos sejam traficantes ou não, que estão todos cooperando com o mesmo objetivo de lucrar, se beneficiar ou curvar-se ao tráfico de drogas, armas e influência. O Estado do Ceará está a anos sofrendo com as superlotações, rebeliões nos centros educacionais, com os crimes por parte de grupos de extermínios envolvendo "mocinhos" e bandidos. As pessoas acompanham isso através dos programas policiais que são portas de entrada para a ocupação de cargos públicos. Não duvido que jornalistas destes programas cheguem bem antes de o crime acontecer. O crime é espetacularizado, dá audiência e por isso gera lucro, pois empresas devem pagar um absurdo para fazer propagandas nos horários de tais programas policiais. Não duvido também da ligação direta destes com o crime organizado.

A guerra que devemos travar, portanto, é contra nossos hábitos, nossa cultura, nosso tesão pela propriedade, pelo consumo, pelo poder, pelo lucro. Cada um de nós precisamos diariamente fazer auto-crítica às nossas práticas políticas e sociais. Precisamos voltar a crer em uma nova sociedade e a partir deste sonho praticar e, sobretudo lutar, pois na atual conjuntura não adianta falar que faz a sua parte como profissional, fechando os olhos para todas as injustiças em seu próprio ambiente de trabalho e por vezes cometendo práticas ilegais ou imorais se se dar conta do que está fazendo. Precisamos ter coragem para enfrentar todas as mazelas sociais, buscando ser íntegro, não sendo cúmplice, e sobretudo batendo de frente com os atos corruptos e práticas imorais tão cotidianas em todos os ramos da sociedade.

sábado, 27 de novembro de 2010

CURSINHO PRÉ-VESTIBULAR P6M

Aos coordenadores, professores e alunos.

Pessoal, segue abaixo o vídeo de divulgação do P6M. Por favor, divulguem este vídeo por e-mail ou através de redes sociais como: facebook, orkut, myspace, twitter etc.

Atenciosamente,
Coordenação Administrativa
Projeto 6 de Março

domingo, 14 de novembro de 2010

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Aberta as Inscrições para o Processo de Seleção 2011

O Projeto Pré-Vestibular Popular 6 de Março torna público o Processo de Seleção para admissão de novos estudantes para o período letivo de 2011. Confira o EDITAL DE SELEÇÃO (em PDF).

O processo de seleção deve acontecer em duas etapas. A primeira consiste em uma apresentação do Projeto Pré-Vestibular Popular 6 de Março, com informações importantes acerca da origem e funcionamento do cursinho. A segunda etapa constitui de uma prova objetiva que deve abordar os seguintes assuntos determinados no ANEXO I do Edital. Ao lado você pode conferir o Edital e logo abaixo o conteúdo programático abordado na prova de seleção. Veja vídeo de divulgação e nos ajude a divulgar.



ANEXO I - Conteúdo Programático

História: Educação e Democracia na Grécia; a Igreja Medieval; bases teóricas do Absolutismo; Revolução Francesa; Segunda Guerra Mundial; Revolução Cubana; produção açucareira no Brasil; Primeiro Reinado; ordem oligárquica na República Velha; Vargas, Estado Novo; Ditadura Militar; o Ceará e Confederação do Equador; a campanha abolicionista no Ceará. Português: Interpretação de texto; Funções da linguagem; Figuras de Linguagem; Variação linguística; Estudo do texto literário: relações entre produção literária e processo social, concepções artísticas, procedimentos de construção e recepção de textos – produção literária e processo social; processos de formação literária e de formação nacional; produção de textos literários, sua recepção e a constituição do patrimônio literário nacional; relações entre a dialética cosmopolitismo/localismo e a produção literária nacional; elementos de continuidade e ruptura entre os diversos momentos da literatura brasileira; associações entre concepções artísticas e procedimentos de construção do texto literário em seus gêneros ( épico/narrativo, lírico e dramático ) e formas diversas.; articulações entre os recursos expressivos e estruturais do texto literário e o processo social relacionado ao momento de sua produção; representação literária: natureza, função, organização e estrutura do texto literário; relações entre literatura, outras artes e outros saberes; Estudo dos aspectos linguísticos da língua portuguesa: usos da língua: norma culta e variação lingüística – uso dos recursos linguísticos em relação ao contexto em que o texto é constituído: elementos de referência pessoal, temporal, espacial, registro linguístico, grau de formalidade, seleção lexical, tempos e modos verbais; uso dos recursos linguísticos em processo de coesão textual: elementos de articulação das sequências dos textos ou à construção da micro estrutura do texto. Geografia: Recursos naturais e recursos energéticos; desmatamento; urbanização; relevo brasileiro; clima brasileiro; industrialização no Brasil; correntes demográficas (Malthusiana, Neomalthusiana, Reformista); Unidades Geomorfológicas do Ceará; Atualidades: Arte; cultura; esporte; política; economia. Biologia: Membrana plasmática e citoplasma celular; tecidos conjuntivos; classificação dos seres vivos; os vírus e o reino Monera; reprodução humana; origem e evolução da vida; relação entre os seres vivos; poluição e desequilíbrios ecológicos. Matemática: Expressões numéricas; multiplicidade e divisibilidade (MMC e MDC); razão e proporção; regra de três simples e composta; produtos notáveis; equações de 1º e 2º grau; sistemas de equações do 1º grau; conjuntos; funções de 1º e 2º grau; Noções de geometria plana e espacial: Figuras planas e suas áreas, figuras espaciais e suas áreas e volumes (poliedros). Física: Unidades de medida; grandezas escalares e vetoriais; movimento retilíneo uniforme e uniformemente variado; conservação da energia; leis de Newton e suas aplicações; primeira e segunda lei da termodinâmica; noção de carga elétrica; Lei de Coulomb; corrente elétrica; lei de Ohm. Química: Ácidos, bases, sais e óxidos; substâncias puras e misturas; funções orgânicas; unidades de concentração.

sábado, 30 de outubro de 2010

Pescador de Ilusões

Ilusão é achar que viveremos bem sendo melhor que o outro.
Ilusão é achar que sua vida é mais importante que a vida dos outros.
Ilusão é achar que o lucro abusivo e à base de exploração do outro é justificável.
Ilusão é pensar que o crime deve ser combatido com outros crimes.
Ilusão é achar que a vida é um jogo de interesses individuais.
Ilusão é pensar que não devemos ajudar o próximo por que ninguém nos ajudou.
Ilusão é achar que não existe amigos de verdade se considerando um amigo em potencial.
Ilusão é pensar que é impossível transformar a sociedade e torná-la mais justa e igual.
Ilusão é classificar criminosos por sua classe social, cor ou religião.

Ainda assim sou pescador de ilusões, pois o que é ilusão pra mim é realidade para os outros.

RELEMBRANDO - P6M EM REDENÇÃO

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Software Livre - Conceitos e Definições



É uma questão de liberdade, não de preço. Para entender o conceito, você deve pensar em "liberdade de expressão", não em "cerveja grátis".

"Software livre" refere-se à liberdade dos usuários executarem, copiarem, distribuírem, estudarem, modificarem e aperfeiçoarem o software. Mais precisamente, ele se refere a quatro tipos de liberdade, para os usuários do software:

* A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito (liberdade nº 0).
* A liberdade de estudar como o programa funciona, e adapta-lo para as suas necessidades (liberdade nº 1). Aceso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade.
* A liberdade de redistribuir cópias de modo que você possa ajudar ao seu próximo (liberdade nº 2).
* A liberdade de aperfeiçoar o programa, e liberar os seus aperfeiçoamentos, de modo que toda a comunidade se beneficie (liberdade nº 3). Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade.

Um programa é software livre se os usuários têm todas essas liberdades. Portanto, você deve ser livre para redistribuir cópias, seja com ou sem modificações, seja de graça ou cobrando uma taxa pela distribuição, para qualquer um em qualquer lugar. Ser livre para fazer essas coisas significa (entre outras coisas) que você não tem que pedir ou pagar pela permissão.

Você deve também ter a liberdade de fazer modificações e usa-las privativamente no seu trabalho ou lazer, sem nem mesmo mencionar que elas existem. Se você publica as modificações, você não deve ser obrigado a avisar a ninguém em particular, ou de nenhum modo em especial. De modo que a liberdade de fazer modificações, e de publicar versões aperfeiçoadas, seja significativa, você deve ter acesso ao código-fonte do programa. Portanto, acesso ao código-fonte é uma condição necessária ao software livre.

Você pode ter pago em dinheiro para obter cópias do software GNU, ou você pode ter obtido cópias sem custo nenhum. Mas independente de como você obteve a sua cópia, você sempre tem a liberdade de copiar e modificar o software. Para que essas liberdades sejam reais, elas tem que ser irrevogáveis desde que você não faça nada errado. Caso o desenvolvedor do software tenha o poder de revogar a licença, mesmo que você não tenha dado motivo, o software não é livre.

Entretanto, certos tipos de regras sobre a maneira de distribuir software livre são aceitáveis, quando elas não entram em conflito com as liberdades principais. Por exemplo, copyleft (apresentado de forma bem simples) é a regra de que, quando redistribuindo um programa, você não poderá adicionar restrições para negar à outras pessoas as liberdades principais. Esta regra não entra em conflito com as liberdades, na verdade, ela as protege. Regras sobre como empacotar uma versão modificada são aceitáveis, se elas não acabam bloqueando a sua liberdade de liberar versões modificadas. Regras como "se você tornou o programa disponível deste modo, você também tem que torna-lo disponível deste outro modo" também podem ser aceitas, da mesma forma. (Note que tal regra ainda deixa para você a escolha de tornar o programa disponível ou não.)

No projeto GNU, nós usamos "copyleft" para proteger estas liberdades legalmente para todos. Mas também existem softwares livres que não são copyleft. Nós acreditamos que existem razões importantes pelas quais é melhor usar o copyleft, mas se o seu programa é free-software, mas não é copyleft, nós ainda podemos utiliza-lo. Veja Categorias de Software Livre para uma descrição de como "software livre", "software copyleft" e outras categoria se relacionam umas com as outras.

Às vezes regras de controle de exportação e sanções de comércio podem limitar a sua liberdade de distribuir cópias de programas internacionalmente. Desenvolvedores de software não tem o poder para eliminar ou sobrepor estas restrições, mas o que eles podem e devem fazer é se recusar a impo-las como condições para o uso dos seus programas. Deste modo, as restrições não afetam as atividades e as pessoas fora da jurisdição destes governos.

Quando falamos de software livre, é melhor evitar o uso de termos como "dado" ou "de graça", porque estes termos implicam que a questão é de preço, não de liberdade. Alguns termos comuns como "pirataria" englobam opiniões que nós esperamos, você não irá endossar.

Copyright (C) 1996, 1997, 1998, 1999, 2000 Free Software Foundation, Inc., 59 Temple Place - Suite 330, Boston, MA 02111, USA


A cópia fiel e a distribuição deste artigo completo é permitida em qualquer meio, desde que esta nota seja preservada.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

terça-feira, 26 de outubro de 2010

A CENSURA ESTÁ VOLTANDO?

domingo, 24 de outubro de 2010

Grupo Crítica Radical

Desafios da Emancipação Humana

ENEM - Local de Prova


ENEM - Local de Prova

Atenção! Cartão de confirmação de inscrição chegará entre 4 e 25 de outubro, pelos Correios.
O resultados da prova serão divulgados até 15 de janeiro de 2011.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

NOVA DATA AULA DE CAMPO


A aula de campo que estava programada para o dia 10 de Outubro de 2010 foi adiada para o dia 24 de outubro de 2010. Os interessados deveram procurar a coordenação do Projeto.

Segue abaixo mais informações:

Data do evento: 24/10/2010

Local de saída: Escola Martins Rodrigues, próximo ao mercado de Maracanaú.

Horário da saída: 07:30h

Retorno: 17:00h

Entrevista com Ciro Augusto, candidato do PSOL de Maracanaú


A entrevista que segue ocorreu em Julho de 2010 e foi realizada pelo jornal de Maracanaú. Na ocasião o candidato a Deputado Estadual e também professor de História do Ceará do Projeto Seis de Março, Ciro Augusto, falou um pouco sobre a conjuntura política de Maracanaú.

Por se tratar de algo próximo a nossa realidade resolvemos publicar a entrevista aqui, mas apenas a nível informativo. Segue a entrevista:

JM- Jornal de Maracanaú
CA- Ciro Augusto

JM - Nome completo, idade e local de nascimento.

CA- Ciro Augusto Mota Matias, 23 anos (até 14 de setembro) e nasci em Maranguape.

JM- Qual seu partido, atividade profissional e nível escolar.

CA- Sou filiado ao Psol (Partido Socialismo e Liberdade) desde 2006. Sou funcionário público municipal concursado, guarda municipal. Estou concluindo o ensino “superior”, o curso de Filosofia na UECE.

JM- Antes de entrarmos especificamente nos detalhes de sua candidatura, como vc analisaria o atual cenário político de Maracanaú ? e qual seria o diferencial dela em relação a outras cidades?

CA- Maracanaú, embora com ares de modernização, ainda amarga o legado histórico, isso é latente nas várias esferas administrativas do nosso Estado, da provinciana utilização da administração pública para a serventia clientelista-fisiologista, o que vem perpetuando alguns grupos no poder, prática que a dita esquerda maracanauense (PT, PC do B, PSB...) reprovava e denunciava nos tempos de Júlio César. Os governos de Maracanaú são sempre marcados por essa prática, alguns achavam que com Roberto Pessoa seria outra história, mas revelou-se, como diria Renato Russo, como “mais do mesmo” ou, no popular, seis por meia dúzia. Prova cabal disso são os que antes parasitavam na máquina pública com Júlio César, continuam com seus tentáculos firmes com Roberto Pessoa. A utilização da esfera pública para acomodação dos partidos em troca de apoio político-eleitoral criou em torno da atual gestão uma quase unanimidade, tendo no seu espectro de apoio partidário desde o PT, PC do B até DEM, PP, etc...Dessa forma, tenta-se homogeneizar a política ou restringi-la a apoiadores de Roberto ou Júlio, embora suspeito que haja um acordo “camarada” entre os dois para a sucessão em 2012, tentando barrar forças políticas que se apresentem como alternativa de esquerda, como é o caso do Psol, mas não nos rendemos à velha política.

JM- O que o motivou a querer entrar na vida pública?

CA- Como já dizia o ilustre filósofo Aristóteles, o homem é um animal político. É a condição de vida em sociedade que me torna um ser público, pois minha ação, independente de minha vontade, influencia o outro, nossas vidas estão relacionadas, essa divisão entre vida pública, exercício da cidadania, e a vida privada é artificial, é decorrente da divisão social do trabalho. Portanto, se há uma motivação para a “vida pública” é a luta social, é o comprometimento com os segmentos populares que se organizam no embate à ordem desigual e injusta estabelecida, é a cumplicidade dos sonhos dos trabalhadores rurais sem terra na luta contra o latifúndio e o agronegócio, dos trabalhadores(as) pela redução da jornada de trabalho, pelos estudantes que lutam pelo passe livre, como todos(as) que almejam uma sociedade igualitária. Eis a vida pública que compartilho, alegre e esperançosamente, com os lutadores(as) por um outro mundo possível.

JM- Qual o diferencial de sua candidatura em relação às outras?

CA- O diferencial é apresentar uma outra política, no discurso e na prática. É fazendo uma outra política que ela se realiza, é a ação o elemento transformador da sociedade e a política é essa dimensão prática da vida humana. Enquanto os candidatos e partidos da ordem reduzem a política aos interesses mesquinhos de uma minoria privilegiada e a sua subsunção á economia, estabelecendo a política como uma mercadoria, seja pra garantir os interesses dos financiadores de campanha (empresários e banqueiros), para garantia dos acordos espúrios e a compra de votos, entendemos a política como instrumento de transformação da realidade, instrumento que cabe nas mãos de todos(as) que movidos por esperança e amor forjam um amanhã justo, ecológico e humano.
JM- Sabemos que o PSOL é um partido que dispõe de poucos recursos, e em Maracanaú a situação é mais gritante . Qual a fonte dos recursos que irão financiar sua campanha?
CA- Importante tocar nesse ponto, a questão do financiamento de campanhas é algo fundamental, pois revela as relações existentes entre o poder econômico e o poder político. É por isso que não aceitamos doações de empresas (pessoas jurídicas). O financiamento das campanhas tem se tornado uma boa fonte de corrupção e desvios de verbas públicas. O estado do Ceará, não obstante sua pobreza, é o segundo estado em gastos de campanha para cargos majoritários, perdendo apenas para São Paulo, campanhas milionárias, vale perguntar: de onde vem tanto dinheiro? Como diz um companheiro de partido, o Renato Roseno, quem paga a banda escolhe a música que toca. Ou seja, os financiadores exigem retorno, as empresas depois cobram o financiamento com obras ou em serviços públicos, estabelecendo uma relação promíscua entre o interesse público e o privado (capital).
Por isso queremos estabelecer uma nova relação de poder em que as camadas populares tenham cada vez mais poder de decisão na esfera da administração pública, com isso nossas campanhas são financiadas por doações militantes, de pessoas físicas que compartilham do mesmo sentimento político de construção do socialismo (estabelecemos um teto para as doações, não aceitamos mais que R$ 5.000,00 de cada pessoa). No caso específico de minha candidatura, o apoio virá do partido, com o fornecimento do material de campanha via comitê financeiro, e a ajuda de alguns companheiros e familiares. Diante das outras candidaturas postas, será uma candidatura franciscana.
JM- Falemos agora de propostas. Educação , Saúde, Emprego e Segurança são áreas que a população considera prioritárias. Quais suas propostas para cada uma delas? E como vê a atuação do atual governo(municipal e estadual) nessas áreas?

CA- Sendo sucinto, a educação deve ser entendida como um direito, e na perspectiva de formação crítica, libertadora e transformadora dos seres humanos. Partindo dessa premissa é fundamental o fortalecimento da escola pública, gratuita e de qualidade, que possa atender e alfabetizar universalmente, ampliando o número de vagas nas escolas estaduais, é necessário superar a baixa média de permanência dos adolescentes nas escolas, assim como a baixa média de escolaridade dos cearenses, de 5 a 6 anos, para isso deve-se ampliar os investimentos em educação, estabelecer parcerias com os município para a melhoria do ensino fundamental, infantil, etc. A saúde deve ser entendida como a valorização da vida, assim como as suas mais variadas formas de expressão, na sua relação com a natureza. Portanto, a humanização do serviço e a priorização do ser humano, a qualificação e formação humana do profissional de saúde, projetos de qualidade do ar e da água, de educação no trânsito, educação ambiental, saneamento básico, ampliação do Programa Saúde da Família, são elementos para a concretização de um serviço de saúde humanitário e digno da vida humana.Não podemos disjungir os programas sociais, os investimentos sociais, políticas públicas sociais das questões de segurança pública. Portanto, mesmo compreendendo a desigualdade social como raiz do incremento da criminalidade, vale ressaltar alguns pontos importantes para uma resposta à sociedade, como a eficiência do judiciário, que seja eficiente, uma reformulação no sistema carcerário, humanizá-lo, investir em tecnologia e inteligência, valorizar os trabalhadores da Segurança Pública, policiais civis, militares e bombeiros, formação humana e qualificação profissional, são importantes para um novo modo de combate à violência e mais eficaz.No tocante ao emprego, apostamos na economia solidária, na criação de redes de produção e comercialização, tanto no campo da agricultura familiar agroecológica, como em outros setores, pesca, sobretudo nas atividades que garantam uma seguridade alimentar. Nesse aspecto vale ressaltar a problemática da concentração fundiária e a garantia constitucional da função social da terra, portanto, cabe ao Estado desapropriar as terras necessárias.

JM- Quais os pontos positivos e negativos do atual governo de Maracanaú, e em que ele se diferencia da gestão Júlio César? É verdade a afirmação de que Maracanaú avançou politicamente com Roberto Pessoa?

CA- Eu não consigo perceber uma política pública efetiva que tenha alterado substancialmente a vida dos maracanauenses para que possa apontar algo de positivo, talvez a política de combate às DSTs. No início do governo tivemos a abertura de alguns Postos de Saúde durante a noite, o que não ocorre mais, ou seja, o que tinha de positivo, embora tímido, não tem mais. O que percebemos é que não se diferencia em muito da gestão de Júlio César, talvez o diferencial seja a Polícia Federal batendo na porta da Secretaria de Finanças, o arrocho salarial dos servidores, a postura autoritária diante da greve legítima, justa e legal dos professores, que tiveram seus vencimentos suspensos arbitrariamente, falta de transparência com as contas públicas, clientelismo, aparelhamento da estrutura administrativa para fins pessoais, uma série de elementos que variam de intensidade, sendo com Júlio ou com Roberto. Não há muita diferença, Maracanaú, embora com a política de incentivos fiscais para atração de empresas e investimentos para a cidade, continua com os mesmos problemas nos serviços de saúde, educação, habitação...Bem que poderíamos fazer essa pergunta aos moradores das áreas de risco, aos usuários dos serviços de saúde pública do município, aos professores e alunos da rede pública de ensino municipal, aos jovens, aos ambulantes, etc...Com isso podemos concluir que não houve avanço e, nop aspecto político, foi que não tivemos mesmo!

JM- A cidade de Maracanaú tem passado por um considerável crescimento econômico nos últimos anos, baseado principalmente no setor terciário(comércio e serviços). Como analisa essa questão?

CA- Isso é resultado de uma nova configuração do capital, é um fenômeno mundial de transformação da relação capital-trabalho. Há tempos, sobretudo nos países de capitalismo desenvolvido, essa mudança vem ocorrendo, a figura do operário de fábrica enquanto proletário vem dando lugar ao setor de serviço e comércio, abrangendo a composição da classe que vive do trabalho, o desenvolvimento tecnológico reduziu a mão-de-obra fabril. A exploração da mais-valia, do trabalhador, ganha novo espaço, precariza-se. Por isso o dito “crescimento econômico” não se configura enquanto riqueza social, pois o processo de exploração do trabalho gerador de riqueza ainda se concentra nas mãos de poucos. O operador de caixa de um supermercado passa horas durante um dia fazendo movimentos repetitivos, quase não tem descanso, trabalha além da carga horária e, apesar de passar milhares de reais em sua mão durante o dia, recebe um salário mínimo no fim do mês sem ter direito a um domingo de folga, da mesma forma vendedores de lojas em shoppings, call centers, os terceirizados, contratados, etc. Para onde está indo a riqueza gerada pelos trabalhadores de Maracanaú? Há crescimento econômico? Os trabalhadores estão ganhando com isso?O próprio crescimento do setor terciário gera a informalização do emprego, basta olharmos nossas calçadas, tomadas por ambulantes e trabalhadores autônomos sem direitos sociais trabalhistas assegurados. Esse é o “crescimento” ou “desenvolvimento”?As grandes empresas de serviço e do comércio tem espaço (terra) e incentivos para suas instalações, e os autônomos, tem espaço e incentivo? A que interesses está servindo o governo e o Estado, aos dos trabalhadores ou dos patrões?Vale pensar um pouco.

JM- Pegando o gancho da pergunta anterior: em decorrência desse crescimento nossa cidade tem deixado de ser aquele pequeno e tacanho lugar “longe demais das capitais”, e vem se transformando, aos poucos, num grande centro urbano com Shoppings, redes de famosas lojas etc. Isso tem sido positivo?

CA- Positivo para quem? Essa pergunta deve sempre ser feita. Enquanto temos o shopping, o qual teve o privilégio de ter uma rua cedida para a ampliação dos seus empreendimentos, os feirantes da Sé e tantos outros que ocupam nossas calçadas e canteiros centrais não tem onde ficar. Os incentivos fiscais, ou seja, os impostos que deixam de ser arrecadados, os terrenos cedidos pela prefeitura, etc. e os próprios investimentos privados para a realização dos “empreendimentos”, que no fim das contas chegam às somas dos centenas de milhares ou até milhões, não trazem o retorno social esperado, senão algumas dezenas de empregos, enquanto a saúde, educação, habitação popular, saneamento básico, segurança, transporte público, estão em frangalhos. Portanto, enquanto os gastos públicos para a geração de riqueza para apropriação privada, de alguns poucos, for o carro chefe do pseudo desenvolvimento, não teremos saldos positivos. De que adianta as “redes de famosas lojas” se a maioria da população só pode contemplá-las? Para alguns é o templo do consumo, onde ele realmente se efetiva, para muitos, apenas contemplação nas vitrines. A riqueza produzida pelos trabalhadores(as) deve ser repartida para os trabalhadores(as), só assim teremos justiça social e saldo positivo.

JM- Há políticos, e não são poucos, que defendem a continuidade do sistema tributário tal como está, porque, segundo eles, os estados nordestinos se beneficiam com a chamada “Guerra Fiscal”, citando como exemplo o Ceará, um pretenso beneficiário. Concorda? Há algum projeto de sua parte que contemple o aspecto tributário?

CA- Confesso não ter um domínio sobre o assunto, mas uma reforma tributária se faz urgente e necessária, sobretudo no tocante a implantação do imposto progressivo, ou seja, quem tem mais paga mais, porque hoje o sacrifício dos tributos é sobre o assalariado, é sobre o consumidor. A “guerra fiscal” que se estabelece entre os estados, municípios, entre os entes federativos, é fruto da política de incentivos fiscais para atração de investimentos privados, cria-se zonas francas, ZPEs, reduz-se direitos trabalhistas (flexibilização dos direitos sociais do trabalhador), etc, além de promover o desmonte de parques industriais, como, por exemplo, no Rio Grande do Sul, que perdeu para a Bahia as indústria calçadista, pois findo os incentivos de atração (exemplo: 10 anos sem pagamento de ICMS, depois dos 10 anos a empresa migra para outra região mais “atrativa”) as empresas procuram se instalar em novas áreas, ou seja, a vida humana é descartada pelo lucro.Como a flexibilização das leis trabalhistas está relacionada com a atração de empresas (mão-de-obra barata), logo com a “guerra fiscal”, é necessário fortalecer as conquistas dos trabalhadores e aprofundá-las, a redução da jornada de trabalho sem redução de salários, a participação dos trabalhadores nos lucros das empresas, são direitos que deveriam ser assegurados ao trabalhador, associada aos investimentos sociais oriundos dos tributos.

JM - Diga sucintamente o que o PSOL tem a apresentar de alternativa, em nível estadual, ao projeto do PSB/PT ?

CA- O Psol vem romper com o projeto mudancista que está em curso há 25 anos, o saldo da era Tasso-Ciro-Lúcio-Cid não são animadores, principalmente nas áreas sociais. A lógica dos investimentos infra-estruturantes para a industrialização do Ceará (de impactos sociais e ambientais fortíssimos)tem custado caro ao povo cearense, ainda continuamos um estado pobre e extremamente desigual, a estrutura de produção e apropriação da riqueza não foi alterada, meia dúzia de famílias controlam a maior parte da riqueza do estado. O Psol vem apresentar uma alternativa, mostrar que é possível viver outro Ceará, em que se funda na preservação e valorização da cultura dos povos, seja do semi-árido, do litoral, dos centros urbanos, das serras, mas que seja uma nova sociabilidade, onde a produção e apropriação sejam coletivas, em que os indivíduos se respeitem mutuamente e á natureza, em que se privilegie o ser humano.

JM- Diga suas últimas palavras aos nossos estimados leitores.

CA- A nossa empreitada não se encerra no dia 3 de outubro, o nosso horizonte utópico do amanhã, de construirmos uma sociedade sem explorados(as) e exploradores(as), sem miséria, ecológica, humana, justa, solidária, socialista, não nos deixa descansar. Como dizia Saramago, “a utopia é o amanhã”, e digo completando, para a utopia do amanhã, só o hoje não nos basta! A nossa luta diária contra a expansão predatória do capital exige muitos de nós e muito de nós, por isso, sua participação é imprescindível. Para nós o valor da política é a esperança, indignemo-nos e lutemos, o amanhã virá, pois o “novo sempre vem”!

Agradeço ao jornal pelo espírito público, democrático e à promoção da cidadania.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

UECE - VESTIBULAR 2011.1

A Universidade Estadual do Ceará, por intermédio da Comissão Executiva do Vestibular (CEV/UECE), está disponibilizando no seu site o Manual do Candidato(click em Manual e baixe aqui mesmo) referente ao Vestibular 2011.1, contendo informações relacionadas a este Certame e o Edital Nº 50/2010-CEV/UECE que regulamenta o Processo Seletivo. As inscrições para o Vestibular 2011.1 somente serão feitas pela internet, no período de 04 a 15 de outubro de 2010, de acordo com as instruções e orientações constantes nas telas do site destinadas ao preenchimento da Ficha Eletrônica de Inscrição.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

AULA DE CAMPO


O Projeto Seis de Março, promoverá no próximo dia 10 de Outubro de 2010, na serra da Aratanha(Pacatuba), uma aula de campo. Os interessados deveram procurar a coordenação do Projeto.


Segue abaixo mais informações:


Data do evento: 10/10/2010

Local de saída: Escola Martins Rodrigues, próximo ao mercado de Maracanaú.

Horário da saída: 07:30h

Retorno: 17:00h

quarta-feira, 24 de março de 2010

Matémático russo esnoba prêmio de 1 milhão de dólares.

Gênio russo esnoba prêmio de US$ 1 milhão após solucionar problema clássico (UOL Notícias com informações do Daily Mail)

O matemático russo Grigory Perelman, 44, considerado um dos maiores gênios vivos do mundo, declarou ontem que não tem interesse em receber o prêmio de US$ 1 milhão a que tem direito por ter resolvido a chamada Conjectura de Poincaré.

Em seu apartamento infestado de baratas em São Petersburgo, Perelman afirmou, sem abrir a porta: “tenho tudo o que quero”, segundo informou o jornal britânico Daily Mail.

Na última semana, uma instituição dos Estados Unidos reconheceu que o estudioso russo demonstrou a Conjectura de Poincaré, que desafiava os matemáticos há mais de um século.

O matemático francês Jules Henri Poincaré (1854-1912) estimou que, de forma simplificada, qualquer espaço tridimensional sem furos seria equivalente a uma esfera esticada.

Poincaré e os matemáticos que vieram depois dele acreditavam que a proposta estaria correta, mas não conseguiram uma prova algébrica sólida para elevar a conjectura à categoria de teorema.

A complexidade do assunto levou o Instituto de Matemática de Clay a incluir o problema entre os “sete desafios do milênio”. Para cada desafio que fosse solucionado, o instituto prometeu pagar um prêmio de US$ 1 milhão (cerca de R$ 1,78 milhão).

Na semana passada, James Carlson, diretor do instituto, reconheceu a façanha de Perelman e anunciou que a Conjuntura de Poincaré é o primeiro dos sete desafios a ter solução.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Referências Bibliográficas para a disciplina de Física 3.

Aos alunos novatos estou divulgando as referências que irei utilizar nesse ano letivo. E tentarei postar as notas de aulas sempre que possível.

[1] Ramalho, Nicolau e Toledo. Os Fundamentos da Física, Vol. 03, 7ª Ed. Editora Moderna;
[2] Antônio Máximo e Beatriz Alvarenga. Física (Ensino Médio), Vol.03, 1ª Ed. Editora Scipione;
[3] Helou, Gualter e Newton. Tópicos de Física, Vol. 03, 16ª Ed. Editora Saraiva.

Obs: Essas serão as referências chaves para a elaboração das notas de aula e td´s que irei utilizar no decorrer do ano. As duas primeiras referências estão disponíveis na biblioteca do Projeto 6 de Março. Acrescento ainda, que os alunos podem utilizar outras referências que tenham uma maior afinidade.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Resultado do Processo Seletivo 2010

O Projeto Pré-Vestibular 6 de Março torna público o resultado de seleção para o período letivo de 2010. Fiquem atentos para os avisos no final do arquivo.

Faça aqui o download do Resultado de Seleção.

domingo, 31 de janeiro de 2010

Aprovados no Vestibular da UFC 2010

O Projeto 6 de Março torna pública a lista dos aprovados no vestibular da UFC 2010. Este ano conseguimos um ótimo resultado. Até agora foram 12 aprovações, duas na UECE no meio do ano de 2009, quatro no IFCE (antigo CEFET-CE) e 6 da UFC.

Carlos Newton - Geografia - UECE
Kayenna Silva - Letras - UECE
Maiara Maria - Computação - IFCE
Daniele Miguel - Computacao - IFCE
Cleiton Alves - Computacao - IFCE
Melka Dourado - Quimica - IFCE

Aprovados na UFC 2010:
AIRTONILDO DA COSTA CÂNDIDO JUNIOR - Biblioteconomia
CELINA MARIA MAGALHAES DA SILVA - Biblioteconomia
FRANCINEIDE DE SOUSA PANTALEÃO - Economia Doméstica
NATHALIA LOPES GOMES - Economia Doméstica
GLEIDSON OLIVEIRA FERREIRA - Educação Física (PRIMEIRO LUGAR)
MARCELO DE SOUSA OLIVEIRA - Estatística
Carlos Albuquerque Gomes - Geografia - UECE

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

LISTA DE INSCRIÇÕES INDEFERIDAS - 2010

Segue abaixo a relação dos candidatos que estão com documentação pendente e consequentemente indeferidos:

INSCRIÇÃO

NOME

RG

DOCUMENTAÇÃO PENDENTE

082-10

DENISE

2003098017743

RG E NOME INCOMPLETO

020-10


JORGE EDUARDO MELO DA SILVA

20030910897

HISTÓRICO ENSINO MÉDIO

030-10

MARISA NOQUEIRA MENESES

200201030584

HISTÓRICO ENSINO MÉDIO

060-10

MARIA DO CARMO MATOS CARDOSO

177071-86

HISTÓRICO ENSINO MÉDIO

071-10

FABIANO BRAGA DA SILVA

2006010108371

HISTÓRICO ENSINO MÉDIO

011-10

ANTÓNIO JAIRO ALVES DA CRUZ

20000150232215

HISTÓRICO ENSINO MÉDIO

015-10

GISELE SILVA DA CRUZ


2001015000744

HISTÓRICO ENSINO MÉDIO





Os candidatos tem até o dia 22/01/2010, de 18h as 21h, no mesmo local de inscrição, para regularizar suas inscrições, caso contrário a inscrição será cancelada, impossibilitando o candidato de realizar a seleção!

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

ATENÇÃO - Inscrições Prorrogadas!

As inscrições para o Processo de Seleção 2010 do Projeto 6 de Março foram prorrogadas até o dia 20 de Janeiro de 2010. Leia o Edital de Seleção 2010 e baixe a sua Ficha de Inscrição.

Lembrando que os documentos necessários para a inscrição são:
- Cópia do RG
- Cópia do Histórico Escolar ou Declaração (Comprovando que tenha estudado todo o ensino médio em escola pública)
- Cópia do Comprovante de Residência Atualizado
- 01 Foto 3x4
- Taxa de Inscrição de R$ 16,00